Friday, February 24, 2017

DEUS ME LIVRE

Em nome do Pai,
do filho e do
Espírito Santo,
Eu tomo refúgio no Buda,
Eu tomo refúgio no Dharma,
Eu tomo refúgio na sanga.
Atotô, Obaluaiê.

Deus me livre de ter só razão.
Deus me livre do peso da tua mão
na minha mão que pesa.
Deus nos livre,
daqui até a posteridade,
de toda e qualquer
teologia da prosperidade.
Deus nos proteja dos monstros
ora gestados
nos velhos ventres
de velhas dualidades.
Deus nos liberte da rigidez
cadavérica das identidades.
E nos permita ver para além
dos ventos das nossas ações,
o nosso brilho
no brilho de cada outro
olhar.

Atotô
Amém
Saravá
Aleluia
Namastê

Friday, February 17, 2017

SÉRIES

Não,
Não estou como todo mundo
Assistindo por hoje às séries.
Todos os desenhos, filmes e séries
Do universo
Já habitaram minhalma
E eu não soube o que fazer com eles.

Hoje,
Revejo caminhos e sonhos
Que não são mais os mesmos
Sob as lentes cansadas
Desse velho menino.

E não,
Não quero mais assistir às séries
Não quero mais
Pelo menos hoje não.

Friday, June 27, 2014

BIANTE

Eu te amo assim como um velho
Cauteloso
Como quem devesse um dia odiar

Eu te odeio assim como um velho
Receoso
De que um dia devesse te amar

Eu vivo assim como um velho
Temeroso
De que cada esquina escondesse o final

Como um velho,
Como quem devesse viver,
Comedidamente,
O amor,
O ódio e
A morte

Tuesday, April 22, 2014

CONFORME O DIA

Hoje eu vou
Conforme for

Thursday, April 03, 2014

Dá o Pé de Cachimbo (Carrolliana 1)

Hoje é domingo
Pé de cachimbo
O cachimbo é de louro
Currupaco papaco

Saturday, May 18, 2013

AMBIGUIDADE

não sou feliz
apenas
faço poemas

Friday, January 11, 2013

SACRIOFÍCIO

A arte também morre, meu bom
Que é da tal restauração
E sua dicção pomposa?
Que é do ponto parnaso
E seus sonetos alexandrinos?

A arte também morre, meu bem
Que é de tantos gregos
E outros tantos troianos?
Que é de tantas peças
E tantos louros láureos?

A arte também morre, neném
Tudo morre, tudo morre.
Só o amor é que não!