Tuesday, December 01, 2009

Da Natureza dos Lobos

Alguns já nascem com defeito de fábrica, amor
É assim que eu sou
E esse sorriso que ilumina tudo
Não é senão o avesso do choro convulsivo sobre o próprio vômito
E é essa a moeda rara que te dou

2 comments:

Liza Leal said...

Bom dia meu seguidor! =)
Por enqto... e pra vc, o poema "na carne" fica assim, c/o final: Finque!

Ah! os defeitos de fábrica... estes as vzs é q tornam-se laços,
pela originalidade q os tem.

bj

=)

Fern. said...

Quem encara a realidade? Ah, só se for com dignidade e cara limpa!
Adorei!