Monday, December 14, 2009

De Bússolas e Caminhos

Estava escrito nas estrelas
Mas rasuramos o firmamento
E as marcas vermelhas
Na palma da minha alma
É que agora me servem de guia -
Cinzas trançadas em trilha

5 comments:

Fern. said...

Até a esperança tem fim.
Que bom te ler de novo!

Fern. said...

Mesmo, qual história dessa música? (Eu quero é botar meu bloco na rua). Eu gosto muito dela.
E sim, é muito bom trocarmos ideias por aqui de novo! Não suma de novo, professor, vc faz falta!

Fern. said...

O que eu acho impressionante é que a geração de Sérgio era marcada pelo amordaçamento e mesmo assim, abria a boca, gritava e cantava.
E a nossa geração é livre pra falar o que quiser, e quando fala, diz pouco, isso quando fala o que precisa ser dito.
Mas eu ainda espero por dias melhores...

Essa necessidade que eu sinto de escrever anda um tanto quanto adormecida. Acho que estou também em um pequeno hiato criativo, embora eu tenha procurado outras maneiras de me expressar. Maneiras ingênuas e inexperientes, mas ainda maneiras. rsrs
Creio que os hiatos são apenas prenúncios do melhor.

Beijos!

Anonymous said...

QUEM SABE FAZ AO VIVO, MESMO DEPOIS DA RASURA... NÃO RESISITE, SEGUIMOS POR TRILHAS OPOSTAS, MAS CHEIOS DE SENTIMENTOS...CADA UM,,, CADA UM. ABRAÇOS PROFESSOR!

Sylvia Rosa said...

QUEM SABE FAZ AO VIVO, MESMO DEPOIS DA RASURA... NÃO RESISITE, SEGUIMOS POR TRILHAS OPOSTAS, MAS CHEIOS DE SENTIMENTOS...CADA UM,,, CADA UM. ABRAÇOS PROFESSOR!