Tuesday, November 06, 2007

DOR DE MENINO NESSA HORA

Nem aquilo a que me entrego
Nem alegria de cais de porto
Nem a cor do teu sorriso
Nem a tua boceta nua

Nem as flores do que quis
Nem poemas que não fiz
Nem as árvores desenhadas
Nem o meu cacete duro

Nem casinha nem varanda
Nem teus fogos e artifícios
Nem minha língua na tua
Nem mil beijos de amor

Nada me consola nessa hora,
Nada!
Só dor
Só dor de menino sem razão

4 comments:

Cristina said...

Tem momentos em que nada tem o poder de nos consolar, de acalmar a alma, de abrandar o desespero... Ainda bem que passa.
Beijos

Adrielly Soares said...

Nada me consola nessa hora,
só dor de menina sem paixão.
=~~



Eu to como quem faz esse poema,
eu to como quem o escreve no momento
em que o sente...
nessas horas nem a comunidade que
eu vi na internet
( não chora, faz sexo comigo é mais gostoso )
nem ela serve.
=~~


;* moço.

Fernanda said...

Que dor mais sofrida!
E que versos mais briguentos!Mesmo se casando entre si, distribuem murros e nocauteam minha sintaxe. rsrs

Beijos, boa semana!

Liza Leal said...

Seja feita a tua vontade, menino-poeta!

"So assim o tempo se faz curativo
E a nudez, algum dia
Trará o sabor esquecido
Do quão intenso e raro
Tem o gozo da vida"

(Liza)