Friday, November 23, 2007

A QUE SERÁ QUE SE DESTINA?

Entre mortos e os que ainda virão
Existimos
Criamos passados e os projetamos
No futuro

A que será que se destinam?
Nossas pequenas vidas
Com suas pequenas tragédias e
Pequenos milagres
Com sua mediocridade patética
E seus momentos de plenitude

A que será que se destina?
Eu ter amado tanto
Errado tanto
Sofrido e feito sofrer

A que se destinam?
Boas e más intenções
Rigidez cadavérica de princípios
E complacência desmedida
Com os próprios erros

A que será que se destina?
A beleza em cada pequena coisa
E a vergonha revelada
Em um estranho esplendor

A que será que nos destinamos?
A construir pontes?
A cimentar muros?
A pedir perdão um milhão de vezes?
A decepcionar quem entende tudo
E quem não entende nada?
A plantar livro e escrever árvore?
A criar um filho feliz?

Talvez...
Ou talvez apenas a passar
Sem alarde
Pelo único milagre possível

6 comments:

Cristina said...

Nunca havia me perguntado "A que será que se destina?". Como má católica que sou, não acredito que existe um céu ou inferno (rsrs)pra mim depois da morte. Penso que o segredo de tudo é o que você escreveu, "... passar / Sem alarde / Pelo único milagre possível". Correndo atrás dos sonhos, atrás de um novo amor, de um velho amor, sendo feliz sempre. Até mesmo quando a vida se mostra triste e sombria, um lindo sorriso pode trazer a felicidade de volta.
Beijos

Adrielly Soares said...

"A que será que se destinam?
Nossas pequenas vidas
Com suas pequenas tragédias e
Pequenos milagres
Com sua mediocridade patética
E seus momentos de plenitude"

Eu ameii,
eu também já tinha me perguntado,
não a assim com as mesmas palavras,
mas pra que, porque, essas coisas.
não consegui pensar numa resposta,
e você pensou numa hipótese.
;)

Soraia said...

saudade de vir aqui e ler sua poesia Ricardo...sabe, lendo cada uma de suas palavras, as indagações que aqui encontrei são as mesmas que transitam dentro de mim...acredito que transitam dentro de cada um de nós...só não percebemos com essa peculiaridade...mas não creio em respostas para estas indagações...a vida é auto-resposta, nós somos a pergunta e a resposta de nós mesmos...basta olhar dentro de si..e ver que não há um único destino...somos a ida e a volta...Um feliz 2008 para você, que seja um ano fértil de realizações, de conquistas, de ideias e principalmente, de muito amor, sem perguntas, sem respostas!

Cacau said...

Viver é inútil!


Isso td não se destina a nada, a NADA!

Ricardo Almeida said...

"Quanto a escrever, mais vale um cachorro vivo."
(Clarice Lispector)

Suelen said...

Aaaah, isso tá ótimo pra colocar no meu perfil no orkut, sabe? Tava com saudades de comentar aqui, vou aparecer mais! bjo!