Saturday, October 16, 2004

Passa Tempo

Passa tempo tempo passa
Passa boi passa boiada
Passa vida sem se ver
Passa minuto passa hora
Passa tudo por você

Passa tempo tempo passa
Passa o amor, o ódio,
A sina
Passa a cal passam valores
Passa a perna da menina

Passa tempo tempo passa
Passa a moda passa a muda
Passa a faca passa tudo
Passarinho e passarão
Passarei e passarás
Passa a manteiga passa o pão
Passa a tinta e a aguarrás

Passa tempo tempo passa
Passa a mão antes que eu faça
Passa bala passa bola
Passa cola passageira
Passa a pele do cordeiro
Passa o lobo com dinheiro
Passa tempo tempo passa

Passa tempo tempo passa
Passa boi passa boiada
Passa a vida passa a faca
Passarei, tu passarás
Passa tempo tempo passa

5 comments:

Neysi said...

E eu passo por aqui, e como sempre, gosto do que leio!
Um beijo
Bom fim de semana!

Anonymous said...

Todos passam e passarão..."eu,passarinho!"rssss
Um abração,do Bob.

Anonymous said...

O que não passa, poeta, é a amizade sincera, ainda que silenciada pelo tempo e a distância.
Bjs
Shirley

Gelza said...

Ricardo, achei lindas as suas poesias. Esta do "passa tempo" coincidiu com nosso encontro depois de 24 anos (Pio XI). O tempo passou mas nossas lembranças ficaram e é muito bom rever os amigos mesmo depois de tantos anos.
Parabéns pela sua produção literária. A respeito do título do blog, se o nome é "poesia residual" significa que você possui outras de maior monta e que estas são apenas os resíduos do que você tem? Pois se for isso, mande mais, porque boa poesia não se encontra com facilidade. E a sua tem muita qualidade!
Um grande abraço,
Gelza

lady_bug_falling_star said...

Ricardo!
Fico muito feliz que vc tenha gostado dos meus contos,que poderiam ter saído da boca de qualquer um,como vc mesmo pôde ver.
Eu gostei muito dos seus trabalhos como já disse,e pode deixar que logo logo,eu posto mais laguma coisa.Que tal poesias dessa vez?!RS...
Beijos e até mais!