Saturday, December 04, 2004

Tantas Vezes

Às vezes deus me abandona
Ou vice-versa
Não sei bem

Às vezes sou crucificado
Morto e sepultado
E não ressuscito ao terceiro dia

Às vezes eu prendo a corda a uma árvore
E meu corpo brinca de balançar
Preso pelo pescoço

Às vezes eu desço ao hades
E não encontro nada

Às vezes sou eu
Outras só vida normal

10 comments:

Anonymous said...

Às vezes eu crio asas,
noutras, tenho pés de barro...

Às vezes, meus olhos se iluminam,
noutras, sou só tempestade...

Às vezes, minha alma canta,
noutras, um silêncio abissal me invade.

Então, no silêncio, sou eu.
Só eu. Nada mais.

Perdoa, mas as tuas letras me inspiraram esse canto.
Vi tua Nau no Meu Porto, levantei âncoras e vim conhecer o teu cantar.
E, passear por tuas letras, embriagou minha alma de poesia.
Voltarei e voltarei!
Ouso deixar um beijo.
Míriam Monteiro (Meu Porto -http://migram.blog.uol.com.br)

Neysi said...

Então somos dois...gostei muito desse final!
Beijo

Anonymous said...

Viver e morrer...serão dois lados da mesma viagem?
Um abraço,do Bob.

m* said...

Não me canso de ler e reler.

Suas palavras são de uma leveza imensa, de uma beleza infinita...

Obrigada por isso...

Beijo,
Margarida

Anonymous said...

Oi Ricardo, ontem vim cá, mas o coments não me recebeu, rs.
Gostei imenso desse teu cantinho, das tuas palavras e sentires.
Sobre o post, creio que há em nós, uma pluralidade de eus. Uns se harmonizam, outros se contradizem. No teu poema, um dos teus eus foi mais forte e posicionou-se com certa independência.
Voltarei a ler-te, pois gosto de beber belas palavras e impregnar-me de sonhos.
Um beijo e agradeço a tua visita que será sempre bem vinda.
Anne

Anonymous said...

Olá Ricardo, ontem vim cá mas o coments não me aceitou, hoje comentei, mas meu comentário não apareceu, rs. Tentarei outra vez.
Gostei imenso desse teu cantinho, das tuas palavras e sentires.

Sobre o post, creio que há em nós, uma pluralidade de eus. Uns que se harmonizam, outros que se contradizem.
Os paradoxos habitam em nós, por isso que às vezes imaginamos certas coisas, quem somos e pq estamos tão divididos.
Voltarei mais vezes, só para ter esse prazer em ler-te, ok?
Beijoka.

Anonymous said...

Eu, novamente passeando por tuas letras... Emaranhando-me na beleza da tua poesia.
Meu beijo...
Míriam Monteiro (http;//migram.blog.uol.com.br)

Anonymous said...

Meu Porto é teu. Faça-se Nau. E repouse...
meu beijo....

Míriam Monteiro

Anonymous said...

Poema forte!!!
Beijinhos,
Ana Paula Fidelis.

Liza Leal said...

Num dia sou "todo ouvidos",
No outro me "mudo".
Num dia sou tudo ou nada,
No outro... nada no mundo


bjo teacher!
=)