Saturday, May 28, 2005

Prece

Agora olhe,
Não pra mim,
Se é que 'inda se lembra...

Olhe pra luz
Vulgarmente azulada
De todos os hotéis baratos
Da Praça da Bandeira

E vê que o meu amor, amor
Não valeu nada, não valeu a pena
Ainda que tenha sido infinitamente feliz
Em todas as luzes
Vulgarmente azuladas
De todos os hotéis baratos
De todas as praças da bandeira

E que meu coração ficou a ver navios
A esperar pelas barcas em Paquetá,
A apertar os olhos
Ao ver a escuridão passar,
A ejacular na cama às três da madrugada
E lembrar que o choro também seria uma forma de prazer
Ou vice-versa
Pra nunca mais esquecer

17 comments:

LUIZ ALBERTO MACHADO said...

Muito bom, meu amigo, muito bom sua maneira de cometer seus poemas. Parabéns.
Abração e bom final de semana

lady_bug_falling_star said...
This comment has been removed by a blog administrator.
lady_bug_falling_star said...
This comment has been removed by a blog administrator.
lady_bug_falling_star said...

Nem todos os amores são dignos das luzes vulgares da Pça da Bandeira.Ou são.(rs)
Beijos,poeta querido,tudo de bom!

lady_bug_falling_star said...

Ah,esqueci de dizer..Raul não é só música,né,é lema de vida mesmo!Ele sim,é que não morreu!
Beijo!

Maria Borges said...

Você faz a prece eu fico aqui sonhando coisas e dizendo amém a cada verso... O sábado se tornou um dia ainda melhor. Beijo.

Sandra said...

Maravilhosa essa prece... rezo todos os dias pra que meu amor valha alguma coisa... pra que não seja em vão essa oração!..Beijo..

diniz junior said...

Gostei da citação à Paquetá , lembro de uma letra do Aldir Blanc : Numa queda de patins em Paquetá ( da música Latin Lover )
Um grande amigo estará na UFF na semana que vem , o nome dele é Fábio Nunes . Ele estará falando da revista de poesia Artéria 8 www.arteria8.net no departamento de comunicação ( se vc puder ir acho que irá gostar )
Grande abraço

Anonymous said...

Oieeeee
Espero que tenha aproveitado p feriadaoooo

bjao

Be

Cristiano Contreiras said...

Doces e irrepreendíveis amores efêmeros, amores sucedidos...

Anonymous said...

O Telescópio apontou para este blog, o olho viu a poesia.

Quero tua autorização pra te publicar por lá, pode ser?

Um abraço do

Nel Meirelles
http://www.falapoetica.blogger.com.br
http://www.telescopio.blogger.com.br

Cristiano Contreiras said...

Passando pra te prestigiar!
Adoro mesmo tua escrita!

que o amor não seja o embalo de nossa alma e o acalento do coração...sempre

Marcos said...

O que resta dizer se não que está, como sempre, muito bom?

leila said...

Há sempre um paradoxo no mesmo amor?Beijo.

Mylle said...

ah... mas todo amor que é amor mesmo tem volta. =)

Immortal X said...

Olá!
Estou de volta!
Que saudades disso daqui!
De ver as palavras criando vida e iluminando nossas vidas (vixe, que brega isso!)
hahahah
Bjo gde!

Anonymous said...

O amor sempre nos deixa (e leva) algo, mesmo que seja uma prece triste e desalentada...
Meu beijo de carinho imenso.

Míriam Monteiro - Meu Porto