Saturday, July 23, 2005

Espreguiçar

De um quarto fechado
Alguém contempla o mundo

Sua visão ultrapassa a fresta da janela entreaberta
Desvia-se das grades de metal
Sobe e pousa num galho de árvore

O Sol arde e queima
No céu

Um de seus raios
Desce, passa por entre as folhas da árvore
Desvia-se das grades de metal
Vence a fresta da janela
E deita-se numa cama
Aquecendo as idéias de seu habitante
Que recolhe sem pressa sua visão

11 comments:

Luciane Pelagio said...

Iluminado pelo sol, o homem só sentiu o gozo da luz...

bjs.

sandra said...

Linda essa cena de preguiça...rs Os raios de sol vieram até aqui... Beijos despertados!

passageira said...

O sol só quer aquecer... é bom saber aproveitá-lo em momentos como este! Belo, o poema. Muito. Beijos

Lu Morena said...

É bom acordar sem pressa, poder se espreguiçar e sentir o mundo à volta... e perceber que o mesmo mundo te sente...
Gosto muito do que vc escreve!!

Anonymous said...

Que lindo "Espreguiçar". Linda, a imagem de alguém despertando envolto em luz...
Meu beijo de carinho imenso.

Míriam Monteiro - http://migram.blog.uol.com.br

Nilza said...

Oi, Ricardo!
Seria uma inspiração adentrando pela janela? Bela forma de descrever se eu estiver certa...
Beijos

Bob said...

Aqui os dias de sol no inverno são bonitos...e os bem-te-vis nos acordam de manhã...saudades!
Um abração!

Cristiano Contreiras said...

...devaneios em sentires plenos e concretos.

leila said...

Estive aqui ontem de saudades também, hoje deixo meu olhar também contemplativo de janela como o poema...
Meu beijo.

passageira said...

Ricardo, obrigada pelas palavras bonitas e incentivadoras. Grande beijo e um ótimo fim de semana

Shirley Carreira said...

Amei o poema. Lindíssimo. Adoro o poeta.
Beijos