Saturday, July 30, 2005

Poema Confissão (para todos os cegos - ilustres ou não)

Que se dane o que possam pensar da poesia
Eu só quero sentir, sentir, sentir

Que se danem a métrica, a rima, a fôrma
E que se dane o ritmo, Manuel Bandeira

Que se dane a estética antropofágica
Eu só quero vomitar meu sentimento

Meu compromisso é com a vida, com a paixão
Eu amo vocês
Poesia é nudez, Ginsberg?
Que se dane o que é a poesia

Eu quero trepar, gozar
E matar o meu amor às cinco horas da manhã

E ainda que vocês não entendam
Eu amo Oswald, Chacal,
Bandeira e coisa e tal

Mas intocável mesmo
Só substantivo abstrato
E calcinha da professora

Morte ao sindicato dos deuses
Eu quero ser livre

11 comments:

Cristiano Contreiras said...

O simples despertar diante de um cotidiano tão ferino.

Os pássaros de sua garganta se expressão por fim...

Eliane Alcântara. said...

"Eu só quero sentir, sentir, sentir
...
Eu quero ser livre"

Ricardo, a Poesia (re) nasceu em você quando (re) afirmou as nuances que rondam os olhos de todos os que vivem e 'sentem' por ela. Beijos!

Márcia said...

uau! bravíssimo!

beijo daqui.

Anonymous said...

Um otimo domingo e uma excelente semana pra vc..
bjao
Be

http://anjinha.betiza.zip.net

Luciane Pelagio said...

´"Eu só quero sentir, sentir, sentir,

Sinto devoção nestes versos, soam quase como uma oração...
bjs.

leila said...

Adepta também a cuspir livremente o sentimento que grita...
meu beijo.

Immortal X said...

Ah, estou tentando achar palavras... difícil... só posso dizer que foi sublime!
bjos

Passageira said...

Bravíssimo! Poesia é liberdade de sentir e vc a sente intensamente. É o que faz a sua beleza. Beijos

said...

Escreveste brilhantemente tudoo o que eu quis dizer um dia mas não achei palavras!
Bjs.

Carolina said...

Adorei esses versos logo na primeira leitura. O poema é simples e verdadeiro. Enfim, belo.

Liza Leal said...

Sabe, Rico...

Ando meio que
Sem força
E um certo receio
De entender o q me cerca,
E nesse instante então sinto:



"Fortes gotas caindo em forma de poemas..."

bj


.