Saturday, January 08, 2005

Inventário em Preto e Branco

Tenho um pequeno caderno vermelho
Onde guardo pequenas gotas do que fui

Trago um olhar azul de cachorro
Triste e um tanto melancólico
Que às vezes vira um sorriso castanho de filhote

Possuo quartos brancos numerados
Onde és bem vinda a qualquer hora

E gavetas grafite bem trancadas
Em que acumulo dores incolores
E cultivo almas transparentes

9 comments:

Mylle said...

gavetas grafite... gavetas de chumbo, que nem radioatividade passa... gavetas nas quais você esconde suas dores... =)

Anonymous said...

Oi, Ricardo!
Gostei muito desse poema, do jogo com as cores...gostei muito mesmo! Vou raptar uma cópia para mim no meu blog, ok? Risos!
Te vejo por lá, apesar de não estar escrevendo coisas interessantes!

Beijinhos,
Paula.

Neysi said...

Muito bom!

Anonymous said...

"Vou colecionar um poemeto
Um inventário em branco e preto
Pra alegrar meu coração"...
Grande Ricardo!
Eu estava um pouco ausente dos comentários...mas esse seu poema da semana me deu alguma inspiração...a gente é mesmo assim multicolorida,por mais "burro quando foge"que a gente possa parecer...
Um abraço,do Bob.

Anonymous said...

Olá Ricardo, tão bonito! Gostei imenso.
Tento ter a cabeça arrumada
como se gavetas se tratasse
fecho-as qdo estão cheias
abro-as para acumular memórias
Forro-as qdo as quero renovar
Tranco-as qdo tento esquecer
Hoje fechei algumas
A do primeiro beijo com um carinho imenso
A do primeiro olhar com uma saudade infinda
A do primeiro toque com um tremer profundo.
Como é bom termos os nosso quartos, nossas gavetas, onde guardamos nossas cores e nossos sabores.
beijinhos e boa semana.

Anonymous said...

Oi Ricardo, a anônima do comentário das gavetas sou eu, rs.
Anne.
http://www.anne_voce.blogger.com.br

Leila said...

Vivendo, aprendendo a guardar dores em gavetas, abrindo portas, desempoeirando a casa e pintando o quarto de branco.
Beijo.

Anonymous said...

Andei ausente dos espaços dos Blogs, mas, devagar e com a alma carregada de saudade e carinho, retomo os passos. Meu beijo...

Míriam Monteiro - Meu Porto

Anonymous said...

Gosto muito de ler as cores da vida transformadas em poesia por você.

Fiquei muito lisonjeada pelos seus comentários sobre coisinhas que escrevi no blog da Annie Paul. Obrigada!

Beijinhos,

Lu Morena
http://paracetamol.weblogger.terra.com.br