Saturday, January 22, 2005

Múltiplos

Quero-te
Simples
Como quem ama

Quero-te
Múltipla
Como és
E estilhaçado
Como sou

Quero-te
Inteira
Pela metade
E com a melhor face
Que te dou

Quero te dar
Todos meus amores
Quero provar
Todos teus sabores

Exclusivos somos
Do mundo que somos
E dos outros
Que nos fazem
Seus construtores

Quero-te leve
E dou-me mosaico
Do mundo que somos

Do mundo que somos
Somos daqueles
Que assim desejaram
Nos reinventar

E conjugamos
De múltiplas formas
Novas e leves
Uma estranha essência
Sempre um tanto avessa
A se cristalizar

8 comments:

Leila said...

E esse rio que nos leva, mesmo estilhaçados, a querermos nos dar inteiros? Somos do mundo poético, certeza.
Beijos.

Anonymous said...

Passei aqui para deixar um "oi"!
Brigadinha pelas visitas ao meu blog!
Beijinhos,
Paula.

Neysi said...

Adorei o final!
Beijo
Neysi

Anonymous said...

Bonito! Dizer mais o que? que me deixo ficar aqui, lendo tua poesia intensa, Bela!
Deixa-me ficar? Rs. Beijo.

Anonymous said...

Um poema que, de tão belo, tira o fôlego...
Maravilhoso!
Meu beijo de carinho imenso...
Míriam Monteiro - Meu Porto

m* said...

*sem palavras*

deixo um beijo,
margarida

Anonymous said...

Belo! Já li reli e comentei, só que esqueci de me identificar:
Bonito! Dizer mais o que? que me deixo ficar aqui, lendo tua poesia intensa, Bela!
Deixa-me ficar? Rs. Beijo.
Anne
http://www.anne_voce.blogger.com.br

Bom fds.

Anonymous said...

Belas imagens...
Beijos,
Lu Morena